07 outubro 2013

Nacional é o campeão 2013 no sub-21

Em uma final emocionando, o Clube Nacional de Sub-Sede sagrou-se campeão municipal de futebol de campo 2013 na categoria sub-21. Neste domingo o clube grená superou o São Clemente nas penalidades máximos por 7x6 e garantiu o título da competição. No tempo normal os visitantes ganharam por 2x1 e na prorrogação a decisão ficou 0x0.

Esse é o segundo título do Nacional nos últimos anos. Em 2011, a equipe treinada por Cleiton Kaiser também garantiu o título nas penalidades, mas contra o Clube Incas. Neste ano, dirigido por Andrei Draguetti, o sub-21 do Nacional festejou muito o título conquistado com muita garra e superação.

Além do título, o Nacional emplacou o artilheiro e a defesa menos vazada da competição. Gabriel com 8 gols foi o goleador e Welington ficou com a defesa menos vazada sofrendo 8 gols.

Crônica

O Nacional entrou em campo precisando apenas de um empate. O São Clemente necessitava, de qualquer forma, vencer para legar a final para a prorrogação. O jogo começou quente e o que se viu foi um São Clemente implacável na marcação e na vontade de vencer. O Nacional não se encontrava, não conseguia trocar três passes seguidos.

O primeiro foi somente questão de tempo. No primeiro tempo, André cobrou o escanteio a bola cortou toda a área grená e no segundo poste, o zagueiro Jackson testou firme para o gol, Welington ainda buscou a redonda, mas acabou morrendo no fundo das redes do Nacional, 1x0 São Clemente.

Mesmo com a vantagem, os visitantes continuaram em cima e ampliaram o marcador. André cobrou falta no meio do gol e Welington aceitou. Falha do goleiro do Nacional e o placar em 2x0 para o São Clemente.

O Nacional ainda sem se encontrar em campo tentava chegar ao gol defendido por Bode. Em uma das raras chances, Días acertou um belo chute da intermediária e diminuiu o placar, 2x1. O primeiro tempo terminou assim mesmo.

Na segunda etapa, a postura do Nacional era outra, mais agressivo, mas sem objetividade. O São Clemente entrou para a etapa complementar para segurar o placar. A marcação forte dos visitantes não deixava os atacantes do Nacional pensar. Gabriel e Piu Piu foram seguidos de perto e tiveram poucas oportunidades, principalmente Gabriel que saiu da partida com uma entorse no tornozelo. Méritos da defesa do São Clemente, lideradas por Rech, que fez uma partida excepcional.

O Nacional se complicou ainda mais quando Días foi expulso de forma infantil. Tomou o primeiro amarelo por chutar uma bola para a torcida e depois, sabendo que tinha cartão se envolveu em uma confusão desnecessária com Rech e tomou o segundo amarelo, sendo expulso da partida, complicando ainda mais a vida dos donos da casa.

A segunda etapa terminou como começou 2x1 para o São Clemente e a decisão foi para a prorrogação. Restavam 30 minutos. As câimbras nos atletas de ambas as equipes estavam aparecendo, mas o tempo extra começou.

Mesmo com um jogador a menos, a iniciativa foi do Nacional. O São Clemente ameaçou uma vez durante os 30 minutos, com um chute de Strieder que triscou o travessão de Welington. No restante só deu Nacional.

Em uma bela jogada, ainda no primeiro tempo da prorrogação, Andriel limpou Jackson e de canhota chutou rasteiro, a bola pegou em um morrinho artilheiro e quase enganou Bode que fez uma defesa milagrosa.

No final da prorrogação, Bode brilhou novamente e defendeu aquilo que seria o gol do Nacional. No lance, Langaro domingo a bola pela esquerda e deu belo lançamento para Piu Piu, que invadiu a área por traz da defesa do São Clemente e de cabeça mandou para o gol. Bode, no puro reflexo, defendeu e mandou a bola para a linha de fundo, a redonda ainda triscou na trave antes de sair. Assim terminou os 30 minutos de prorrogação e a decisão ficou dramática nas penalidades máximas.

Era o coração na mão da torcida e dos jogadores. O Nacional abriu a contagem. Todos os 5 jogadores de cada time bateram e marcaram. A decisão foi para as cobranças alternadas. Nacional bateu e fez. São Clemente cobrou e marcou. Nacional chutou e gol e na cobrança, o zagueiro Jackson que havia feito o primeiro gol bateu, e Welington voou no canto direito defendendo a cobrança que ainda bateu no travessão. Aí só foi soltar o grito de é campeão e sair para o abraço.