01 outubro 2014

Ampére desiste de disputar a Liga Sul e Cascavel é incluído na competição

Atual campeão da Chave Prata do Campeonato Paranaense, o Notável/Ampere Futsal desistiu da disputa da Liga Sul 2014, que acontece de 6 a 8 de novembro, em Maringá. Segundo o técnico Mauro Córdova, o adiamento da competição, que estava prevista inicialmente para setembro, atrapalhou os planos do clube, que garantiu o direito de representar o Paraná por ter vencido a Série Prata: “Não tenho como manter esses atletas até novembro. Já disputamos os Jogos Abertos e cumprimos o nosso objetivo, de chegar entre os oito. Na Chave Ouro também já chegamos na nossa meta”, avalia o comandante, que começou o projeto em Ampere em 2010, na Série Bronze.

No lugar de Ampere, quem representa o Paraná é Cascavel. Maringá vai sediar a Liga Sul e também vai disputar a competição. Do Rio Grande do Sul, a equipe classificada é o Alaf (Associação Lajeadense de Futsal). E de Santa Catarina, o representante é o Clube Caça e Tiro 1º de Julho, de Lages.

Dificuldades na Série Ouro

Se o Cascavel Futsal derrotar o Keima/Operário, de Ponta Grossa, no próximo sábado, pela Série Ouro, o Notável/Ampere Futsal se classifica para as quartas de final da Série Ouro. A equipe amperense tem 8 pontos em 8 jogos. Os ponta-grossenses têm um jogo a menos e 7 pontos. Mas se Ampere classificar, vai encontrar dificuldades no mata-mata. Do time que começou a temporada, já foram embora 9 jogadores: Betinho Potiguar, Maringá e Neto Caraúbas estão no Concrevalle/Dois Vizinhos Futsal, Marcelo Jucá e Jardel estão atuando pelo Salto do Lontra Futsal, Sidinei Ribeiro foi para a República Tcheca, Piliu foi para o futsal pernambucano, Fio está no Caramuru, de Castro, e Ziel foi para o futsal chinês.

No momento, estão em Ampere apenas seis jogadores: os goleiros Roni e Marcinho, os alas Rodriguinho, Oliveira e Paulinho, o pivô Diego César e o prata da casa Martini. E destes que restaram, Roni está suspenso para o próximo jogo, caso ele realmente venha a acontecer, no mata-mata das quartas de final. “O problema é que não dependemos somente de nós mesmos para nos classificar. Então deixei os jogadores à vontade para buscar o que for melhor para o futuro deles. Alguns optaram em sair, outros ainda estão aqui”, acrescenta Mauro Córdova.



(Adolfo Pegoraro)

0 comentários:

Postar um comentário