12 maio 2015

“É pela história e minha honra” afirma Dade sobre compra do Beira Lago

Rosinaldo Mateus, o Dade, líder do grupo de sócios que comprará o Estádio Beira Lago, declarou todo seu sentimento local que já deu muitos frutos ao clube Incas. Segundo ele, para que a rica história, recheada de títulos, não fosse apagada, houve a mobilização para que toda estrutura fosse adquirida. Dade ressaltou que o amor pelo estádio e a sua honra também foram pontos cruciais para que a decisão fosse tomada.

- Eu amo esse campo. É uma questão de honra para mim. Eu estou buscando, de certa forma, preservar a história do Clube Incas. Muitas pessoas por ai ficam dizendo que gostam do campo, mas não fazem nada para ajudar a cuidar da estrutura, tanto é que os votos a favor da venda do estádio foram mais que os contras. Venho há anos me dedicando a tudo isso. Tenho o sonho de continuar com meu projeto – disse Dade.

Há uma década, Dade vem mantendo toda a estrutura do estádio, com a manutenção do gramado principal e suplementar. Neste mesmo período, vem comandando a Escolinha do Atlético Paranaense, que já rendeu muitos frutos ao futebol santa-helenense. Além disso, dirigiu o Incas nos amadores dos últimos anos. Hoje atua somente com a categoria veterana, sendo um dos líderes da equipes.

- Nossa ideia é conservar o campo e melhorar a estrutura existente hoje. Queremos dar continuidade ao nosso projeto com as categorias de base, iniciado a muitos anos com o seu Máximo Vasatta. Prova do nosso trabalho é o amador de Santa Helena, onde muitos atletas já passaram por aqui. Fizemos um trabalho social, onde em mais de 75 atletas, aproximadamente 25 não pagam – comentou.

A finalização da compra do Estádio Beira Lago deve acontecer na próxima semana, com a assinatura dos documentos. Uma assembléia, marcada para o dia 20 deste mês deverá sacramentar o acordo. Conforme já adiantado, Dade e seu grupo terão que desembolsar uma quantia equivalente a R$ 700 mil reais, valor estipulado pela diretoria do Clube Incas para venda do campo. Rosinaldo Mateus ainda se mostrou magoado por algumas questões.

- As pessoas acham que eu vivo somente disso, mas não. Dou aula, trabalho na rádio, me viro. Sou digno do que faço. Já cansei de sair 10 horas da noite do estádio, tendo que ligar a luz do carro para cortar a grama. Agradeço a Deus por isso, mesmo com dificuldades. E muitas pessoas de dentro do próprio Clube Incas que estão polemizando tudo e não ajudam. Será que outros que falam do Incas fazem isso? Será que eles tem esse direito de falar alguma coisa? Deixo essas perguntas – finalizou Dade.













0 comments:

Postar um comentário