02 abril 2015

Com nova empresa, árbitros se reúnem para acertar trabalhos em Santa Helena

Quem comandará a arbitragem em Santa Helena neste ano é a Liga Itaipulandense de Futsal (LIFS). Os proprietários da empresa estiveram ontem no município, conversando e acertando os últimos detalhes para o inicio dos trabalhos. O encontro aconteceu na Cancha de Bocha Municipal e serviu para esclarecer dúvidas e colocar, principalmente, a filosofia de trabalho da LIFS, que por ser uma empresa, é diferente da extinta Associação de Árbitros de Santa Helena (AASH).

De Santa Helena ainda restaram 11 árbitros da AASH. Os santa-helenenses juntaram-se à árbitros de Diamante do Oeste, Missal, Medianeira, Céu Azul, São Miguel do Iguaçu e Itaipulândia, que já são cadastrados na empresa. No total, são 49 pessoas que integram a LIFS. E os trabalhos já começam no sábado, dia 11, com o inicio do Campeonato Municipal de Futebol Amador nas categorias livre, sub-21 e veterano.

Os novos contratados terão grande trabalho pela frente. Além do amador, haverá em Santa Helena a Fase Municipal dos Jogos Escolares do Paraná (Jeps), Municipal Suíço e Citadino e Distritais. Segundo o sócio-proprietário da LIFS, Luciano da Silva, é uma honra trabalhar nas competições em Santa Helena. Ele destacou ainda que o material humano que há no município é surpreendente.

- Começamos com essa ideia de atual na região com a arbitragem e surgiu a oportunidade de atual em Santa Helena, que é uma honra. Vamos trabalhar da melhor forma possível, de maneira honesta, para levar o nome da nossa liga da forma mais correta possível. Há um grande número de árbitros em Santa Helena, ficamos até surpresos. Isso vai fortalecer nossa liga, integrando e diversificando a arbitragem – comentou.

Uma atenção especial será dada aos relatórios dos árbitros ao final de cada partida. O assunto foi levantado durante a reunião e será cobrado, não só pela LIFS, mas também pela Secretaria de Esportes e Lazer (SMEL) de Santa Helena, que é quem organiza as competições. Segundo Luciano da Silva, o relatório é uma parte bastante burocrática e difícil de ser confeccionado, por isso dito que é preciso atenção dos árbitros na hora de escrever.

- Os árbitros devem escrever no relatório somente o que realmente aconteceu para que não ocorram problemas futuros. Os árbitros devem trabalhar de acordo com as regras das competições. Houve um pedido por parte dos organizadores para que fosse confeccionado da melhor forma possível os relatórios, pois é o documento que ampara as decisões da Comissão de Ética – finalizou Luciano.





0 comentários:

Postar um comentário