13 novembro 2013

Futebol: presidente da FPF critica ações do Bom Senso


Antonio Costa/ Gazeta do Povo / Hélio Cury, presidente da  Federação Paranaense do Futebol, administra problemas financeiros deixados pela gestão anterior

O movimento Bom Senso FC, que tem o meia Alex, do Coritiba, como um dos líderes e que tenta alterar o calendário do futebol brasileiro, é alvo de críticas do presidente da Federação Paranaense de Futebol (FPF), Helio Cury. No arbitral do Campeonato Paranaense segunda-feira, o dirigente disse que a mobilização é encabeçada por "jogadores em fim de carreira".

"Eu não discordo do Bom Senso, mas é muito fácil falar. A maioria dos jogadores que estão falando é formada por aqueles que estão próximos de encerrar a carreira. Mas por que não falaram isso dez anos atrás?", provoca o presidente da FPF. Além de Alex, de 36 anos, a mobilização conta com muitos jogadores acima dos 30 anos, como o goleiro são paulino Rogério Ceni, o zagueiro colorado Juan, o zagueiro corintiano Paulo André e o holandês Seedorf, do Botafogo.

Cury fez uma clara defesa à manutenção dos Estaduais, cuja manutenção é defendida pelo Bom Senso, desde que com um calendário menor, que não atrapalhe o direito de férias dos jogadores e o resto da temporada dos clubes. "Eu respeito os atletas em relação aos seus direitos de férias. Mas eles são muito bem-pagos. Então, se diminuir o número de jogos, tem que diminuir o salário também", enfatiza Cury.

"O jogador tem que ser pago, custa caro e o time busca dinheiro com o que? Com renda, jogos, sócios, propaganda. Diminuindo os jogos, diminui também sua condição de pagamento e aí tem um grande problema para o atleta", conclui o dirigente.

(Rádio Gol)